Arquivo da tag: Nietzsche

CITAÇÃO DA SEMANA

Apenas pondere consigo mesmo como são diversos os sentimentos, como são divididas as opiniões, mesmo entre os conhecidos mais próximos; e como até mesmo opiniões iguais têm, na cabeça de seus amigos, posição ou força muito diferente da que têm na sua: como são múltiplas as ocasiões para o mal-entendido e para a ruptura hostil. Depois disso, você dirá a si mesmo: como é inseguro o terreno em que repousam as nossas alianças e amizades, como estão próximos os frios temporais e o tempo feio, como é isolado cada ser humano! Se alguém se dá conta disso, e também de que todas as opiniões, sejam de que espécie e intensidade forem, são para os nossos amigos tão necessárias e independentes de sua responsabilidade como seus atos; se alguém chega a compreender como essa necessidade interna das opiniões decorre do indissolúvel entrelaçamento de caráter, ocupação, talento e ambiente — talvez se livre da amargura e aspereza de sentimento que levou aquele sábio a lamentar: “Amigos, não há amigos!”. Essa pessoa dirá antes a si mesma: sim, há amigos, mas foram os erros e ilusões deles acerca de você que os conduziram até você; e eles devem ter aprendido a calar, a fim de continuar seus amigos; pois quase sempre tais laços humanos se baseiam em que certas coisas jamais serão ditas nem tocadas: se essas pedrinhas começam a rolar, porém, a amizade segue atrás e se rompe. Haverá homens que não seriam fatalmente feridos se soubessem o que a respeito deles sabem no fundo seus mais íntimos amigos? — Conhecendo a nós mesmos e vendo o nosso ser como uma esfera cambiante de opiniões e humores, aprendendo assim a nos menosprezar um pouco, colocamo-nos novamente em equilíbrio com os outros.

Nietzsche (1878)

CITAÇÃO DA SEMANA

São talvez as vantagens de nosso tempo que trazem consigo um retrocesso e uma ocasional subestimação da vida contemplativa. […] Como falta tempo para pensar e tranquilidade no pensar, as pessoas não mais ponderam as opiniões divergentes: contentam-se em odiá-las. Com o enorme aceleramento da vida, o espírito e o olhar se acostumam a ver e julgar parcial ou erradamente, e cada qual semelha o viajante que conhece terras e povos pela janela do trem.

Nietzsche (1878)

CITAÇÃO DA SEMANA

Como alguém pode tornar-se um pensador sem passar pelo menos um terço do dia sem paixões, pessoas e livros?

Nietzsche (1886)