Quinta Avenida nº 1: Bushnell denunciando a podreira das ricaças de NYC

Quem disse que literatura para mulheres (women’s fiction, chicklit, chame do que quiser porque eu… sei lá, viu!) é necessariamente sem conteúdo, não deve ter lido este livro. De Candace Bushnell (sim, a mesma autora de Sex & the City), Quinta Avenida nº 1 é mais ou menos assim:

O livro retrata as vidas de mulheres que moram num dos prédios mais luxuosos de Nova York (por isso o endereço, sacou? hehe). O número 1 da Quinta Avenida é o palco de várias demonstrações de cobiça, sede de poder, reconhecimento, etc. Resumindo, todo o drama da vida cotidiana num ambiente altamente competitivo!

A história entrelaça as vidas das moradoras do prédio, ora dando destaque a uma, ora a outra. E outras vezes juntando algumas delas numa mesma cena. Às vezes, outros personagens aparecem (vizinhos, maridos, filhos, amantes, assistentes pessoais), mas eles apenas complementam o enredo principal.

Apesar das personagens centrais morarem no mesmo prédio de luxo, as diferenças entre elas são gritantes. Idade, personalidade, sonhos de vida e até o volume da conta bancária distinguem quem é quem na história, quem está por cima, quem está por baixo. Em alguns momentos, o leitor vai ficar incomodado com alguma injustiça, em outro vai comemorar uma vingança merecida, em outros ainda vai ficar se perguntando porque diabos tal personagem fez certa coisa. Além de tudo, eu acho bem possível que você leia o livro e se lembre de pessoas que conheça ou das quais tenha ouvido falar. É bem assim!

Capa da edição brasileira

Várias resenhas por aí elogiam o livro como uma leitura leve, escapista (acho que queriam dizer que é uma leitura não-séria), guilty-pleasure e por aí vai. Mas eu achei o livro muito mais do que isso. Quinta Avenida nº 1 retrata de um jeito bastante visceral várias questões problemáticas da sociedade atual.

Materialismo, preconceito, sexismo, adultério, cobiça, ganância, exibicionismo… a lista de assuntos é extensa, mas Bushnell consegue tratar de tudo com uma linguagem acessível, além de sarcástica e divertida. #GenteQueAmaSarcasmo A narrativa dela tem uma personalidade que diz algo como “somos ricas e lindas, mas olha como somos idiotas”.

É uma leitura para momentos de lazer que consegue colocar o leitor para pensar. Em tempos de blogs expondo a vida pessoal ao máximo, vídeos de comprinhas e ostentação de bolsas importadas, um livro como esse parece real demais para ser apenas ficção.

Eu gostei demais desse livro, mais do que Diários de Carrie e o próprio Sex and the City. Faz bastante tempo que comprei a edição importada (Hello, estava BEM mais barata!) mas não cheguei a resenhar aqui sei lá porquê.

Ficou interessada(o)? Saiba que os preços estão variando muito! Encontrei preços impraticáveis! Sério, tem loja querendo cobrar R$60,00 reais no livro. Como assim? Não paguem isso tudo. É um absurdo!

A edição em português por preços decentes e respeitosos (Sério, 60 reais é quase imoral!), você acha no Submarino e na Fnac. A edição importada continua mais barata e tem no Submarino.

Precisa lembrar que os link acima geram comissão para o blog? Precisa! 😉
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s