Dracula: de onde ele veio afinal? (resenha do livro)

Sendo o segundo personagem mais adaptado para o cinema, teatro e televisão (perde apenas para Sherlock Holmes), era de se esperar que, 117 anos depois, as origens de Drácula se tornassem um pouco confusas. Confusas a ponto de algumas pessoas acharem que Drácula é uma figura mitológica e não um personagem de um livro. Pois é… ele não faz parte de nenhum conto folclórico, quero dizer, não exatamente.

Mas não vou falar disso agora, deixa eu tentar explicar. Eu ia escrever apenas um post sobre o assunto, mas tem tanta coisa para falar sobre Drácula que achei melhor dividir. Num futuro post vou falar a obra e o personagem no contexto da literatura vampiresca e cultura pop. Neste aqui vai ter só a resenha do livro.

Dracula - Bram Stoker

Escrito por Bram Stoker, Drácula foi originalmente publicado em 1897 e, apesar de não ter sido um sucesso imediato, se tornou a obra ícone de toda a literatura vampiresca do mundo.

Sobre o que é:

o Conde Drácula convida um jovem advogado, Jonathan Harker, para visitá-lo em seu castelo na Transilvânia e preparar a mediação da compra de algumas propriedades na Inglaterra. O Conde se demonstra um homem polido e culto, muito interessado na cultura inglesa. Coisas estranhas começam a acontecer e Jonathan resolve que precisa fugir, mas o Conde exige que ele fique mais tempo.

Bem, esse é o que considero a primeira parte da história. Ela possui uma reviravolta importante, apresenta novos protagonistas e continua tensa e assustadora até o fim. Pode confiar!

É claro que todo mundo já viu, ouviu ou leu alguma coisa, por menor que seja, sobre o personagem Conde Drácula. Ou viu outras obras com vampiros e já conhece algumas tradições e lendas a respeito. Mesmo assim, vou me limitar a dar apenas essa introdução sobre o livro em si e não estragar totalmente a surpresa.

Uma nota interessante sobre a edição que tenho: ela inclui um capítulo extra chamado “O Convidado de Drácula”, que nada mais é que o Capítulo 1 do manuscrito original que o autor havia excluído, mas que foi adicionado nas edições recentes para a felicidade dos fãs.

Este romance é um pouco diferente dos que eu tenho lido ultimamente. Motivo: a trama é toda contada por meio de cartas, diários pessoais, telegramas, diários de bordo e citações de jornais. Isso deixa a sensação de que a história é real e que estamos lendo os relatos das pessoas que a testemunharam. Você só fica sabendo do que cada personagem consegue descobrir e entender por si mesmo. Não tem um narrador explicando o que realmente está acontecendo. E como é uma história de terror… é medão na certa!

Tem hora em que você sabe que tem coisa errada acontecendo, mas o personagem não entendeu ainda e você fica naquela vibe “Olha ela, olha ela, olha ela!” (Del Ocho, El Chavo. XD).

Outra coisa legal: como esse livro já foi adaptado tantas vezes (e também modificado, desfigurado, copiado e transplantado), ler a matéria-prima que inspirou tantos trabalhos é uma experiência única. À medida que você lê, vai redescobrindo passagens, lendas e personagens que você já conhecia por outros meios.

Razões para amar:

♥ Se você ama vampiros, tem obrigação de ler Drácula.
♥ Se você odeia vampiros, te desafio a odiar esse livro também! #Duvido
♥ É um clássico da literatura mundial com centenas de adaptações para o cinema, o teatro e a televisão. Vou apenas citar alguns atores que já o interpretaram para dar uma ideia: Bela Lugosi, John Carradine, Christopher Lee, Gary Oldman, Gerard Butler e Luke Evans (no filme previsto para este ano, que parece que vai ser sofrível por combinar a obra original com adaptações anteriores e piorar a confusão que paira sobre o personagem, mas que vou assistir mesmo assim e possivelmente pagar língua). 
♥ É o tipo de livro para ler e automaticamente começar a odiar todas as adaptações. Seus amigos vão te achar super intelectual! hahaha
♥ Deveria ser obrigatório nas escolas!
♥ Drácula versus Van Helsing = luta do milênio (ou melhor, doS milênioS porque o livro é velho assim)
♥ Mistério: Eu fui dormir tarde várias vezes por causa da curiosidade que consumia meu ser e não me deixava parar!
♥ Suspense: Vários momentos de “Mas que diabos vai acontecer?” e “Oh meu Deus, e agora?” garantidos.
♥ Há muitas descrições de lugares reais que vão te deixar com vontade de viajar. Passo Borgo, aí vou eu! Whitby, tô indo também!
♥ Já está em domínio público e você pode baixar legalmente e gratuitamente aqui ou aqui , e o capítulo extra aqui (obs: em inglês).

Para quem não lê inglês, tem tradução para o português, claro!

Do menor ao maior preço: Submarino (R$16,90); Fnac (R$25,90 – edição bilíngue igual à minha); Saraiva (R$30,00); Submarino (R$30,90 – edição bilíngue igual à minha); Saraiva (R$37,00 – edição bilíngue igual à minha);
Dica esperta: o valor do frete pode fazer a diferença no preço final. Não compre o mais barato logo de cara sem conferir todos.

Bônus #BookPorn: Esta edição na Saraiva tem encadernação de luxo. Socorro!

Lembrando que os links geram comissão e quem quiser procurar onde comprar por conta própria, joga no Google “dracula bram stoker”. Só toma cuidado para não comprar uma adaptação ou “versão moderna” por engano! Muitas das milhares de edições existentes não fazem questão de deixar claro que não se tratam da obra original.

Anúncios

Uma opinião sobre “Dracula: de onde ele veio afinal? (resenha do livro)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s