THE WALKING DEAD – O CAMINHO PARA WOODBURY (RESENHA)

O Caminho para Woodbury é o livro 2 da série The Walking Dead, sequência de A Ascensão do Governador (resenha aqui). Saiu em português no Brasil pelo selo Galera da Editora Record.

O Caminho para Woodbury

Clássico resumão capenga da Ali:

A infestação de mortos-vivos continua e os sobreviventes ainda não sabem muito bem como lidar com isso. A narrativa segue Lilly e seus amigos Megan, Josh, Bob e Scott. Eles primeiro aparecem se virando num acampamento arranjado com mais dezenas de pessoas mas, como isso é The Walking Dead, os mortos aparecem e as coisas começam a dar errado. A jornada pela sobrevivência deles é cheia de desvios e obstáculos em busca de um lugar seguro para viver.

Para quem acompanha os quadrinhos, vai ser emocionante conhecer Lilly. Ela não aparece nos quadrinhos até uma certa grande reviravolta. Já no livro, a gente acompanha todos os eventos que a tornam a pessoa que ela é nos quadrinhos. Tudo passa a fazer sentido.

Outro personagem importantíssimo já conhecido pelos fãs dos quadrinhos e da série de TV é Bob. Óh sim, Bob está lá e também conseguimos entender o que se passa na cabecinha dele. 😉

Sobre o livro como um todo, a história é envolvente e prende o leitor até o fim. Você fica torcendo por cada um dos personagens, do mais heroico até o mais banana de todos. Agora, sobre a escrita…

O Caminho para Woodbury perdeu em muito na qualidade da escrita, na minha opinião, claro! Comparando com seu antecessor, este livro não tem a mesma desenvoltura para causar surpresas no leitor. É mais ou menos assim (sem spoilers, prometo):

Em uma cena, os personagens acham que está tudo bem. Só que, no final do capítulo, vem escrito algo como “Mas eles não sabiam que havia uma horda de zumbis se aproximando para acabar com a festinha deles”, para só no capítulo seguinte o narrador contar que os zumbis finalmente alcançaram os protagonistas. Surpresa, cadê? No primeiro livro, essas reviravoltas apareciam de forma inesperada, a gente não imaginava que um morto-vivo faminto estava prestes a aparecer.

Sobre o produto em si:

Eu comprei a versão “econômica” que supostamente é mais barata e com papel de qualidade inferior. Mentira: a qualidade do papel é ótima, praticamente igual à versão “não econômica”. Na verdade, se você comparar com livros importados, as publicações do Brasil usam um papel mais grosso (mais pesado e consequentemente mais caro). É claro que existem muitos outros fatores que determinam o preço de um livro, mas se as editoras daqui usassem o mesmo tipo de papel das gringas, talvez ajudasse a baratear o produto. Alguém tem alguma opinião/informação sobre isso?

Onde comprar:

Tem na Fnac, Saraiva e Submarino. Os preços e fretes variam, então vale a pena consultar o preço total da encomenda antes de fechar o pedido. Se você ainda não eu o primeiro livro da séries, no Submarino tem kit com os este e o primeiro livro, ou ainda, o kit com 3 livros (o primeiro, este e a sequência que ainda não li :().
Lembrete: os links acima geram comissão para o blog.

Momento mimimi: me parece que a Editora Record redesenhou a capa original do livro, fazendo uma versão mais “teen” e bem menos creepy que a original. Achei isso totalmente desnecessário! A ilustração da edição gringa é perfeita, oras! Sério mesmo que pagaram um “artista” para photoshopear a capa original?

The road to Woodbury

Anúncios

3 opiniões sobre “THE WALKING DEAD – O CAMINHO PARA WOODBURY (RESENHA)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s